container - hyperbanner

1

Artigos

Curso de Vinho (Por Lincoln Pinheiro Costa)

"A mãe, batalhadora, conseguiu criá-lo e educá-lo afastado das más companhias"

Da Redação ([email protected])

Ele nasceu em um perigoso bairro controlado por traficantes na periferia

da capital e ficou órfão de pai ainda em tenra idade. A mãe,

batalhadora, conseguiu criá-lo e educá-lo afastado das más companhias.

Estudou

na escola pública do bairro. Queria vencer na vida. Com financiamento

estudantil cursou uma faculdade particular. Já empregado em uma grande

empresa, fez mestrado e continuou subindo na carreira. Viajou ao

exterior,  aprendeu a falar inglês.

Nunca perdeu contato com os

amigos de infância.  Casado e morando em um bairro de classe média,

sempre deixou as portas de sua casa abertas para os amigos e familiares,

onde os recebiam para animados churrascos.

Foi nomeado diretor da empresa. Sua vida ia de vento em popa. Trocava de carro todo ano.

Uma

tarde foi chamado à sala do presidente. Pensou que lhe seria

apresentado mais um projeto para coordenar, pois era o executivo mais

dinâmico da empresa.

— Você está matriculado em um curso de

vinho, disse o presidente. Agora você é diretor da companhia, terá que

refinar seu gosto e selecionar suas amizades. Daqui para a frente você

não poderá receber qualquer um em sua casa.

Já fizera diversos

cursos, no Brasil e no exterior, mas curso de vinho? Que coisa mais

pernóstica! Ouvira falar de um curso de vinho de uma revista de fofoca,

feito sob medida para seus estúpidos e preconceituosos leitores.

Não

respondeu ao presidente, todavia; temia contrariar o chefe e perder o

posto. Não podia abrir mão de seu nível de vida, das viagens a Miami,

onde fazia compras.

Lembrou-se daquela noite, na quermesse da

igreja, quando pela primeira vez bebeu vinho. Era um adolescente tímido,

não tinha coragem de chegar na menina pela qual era apaixonado e que

anos mais tarde viria a ser sua esposa. Incentivado pelos amigos, virou o

garrafão de Sangue de Boi na boca e criou coragem.

Nas aulas que

frequentou na pós-graduação teve a oportunidade de conhecer diversos

colegas de cultura elevada e raciocínio abstrato; agora iria aprender,

ao lado de dondocas e novos ricos, qual a temperatura certa do vinho e o

jeito de segurar a taça. Ele que aprendeu a beber na boca do

garrafão...

Os mestres das boas maneiras lhe ensinarão também que

existe o vinho que se bebe de dia, o qual não pode ser servido à noite e

vice-versa. Quem não sabe disso é cafona.

Seus amigos não

poderão mais frequentar sua casa; os churrascos estão cancelados; em sua

geladeira não há mais cerveja. Mas sua ascensão social continua.

Qualquer dia desses ele vai convidar uma madame que conheceu no curso de

vinho para jantar em sua casa, quando testará os conhecimentos

adquiridos.

A empresa que dirige? É provável que se afaste dos clientes da mesma forma que ele se afastará dos amigos.

Lincoln Pinheiro Costa

é juiz federal e ex-procurador da Fazenda Nacional. É graduado pela

Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP) e MBA em Direito da

Economia e da Empresa pela FGV. É membro do Instituto San Tiago Dantas

de Direito e Economia e colunista da CBN/Salvador;  
    


(cópia 1)