container - hyperbanner

1

Notícias

Em campanha de vacinação contra febre amarela, Hemorio dobra o número de coleta de sangue

Ao longo da última semana — a campanha seguiu de 22 a 27 de janeiro —, os voluntários chegaram cedo à unidade, para, além de doar sangue, serem imunizados

Da Redação ([email protected] )

A última semana trouxe um resultado bastante positivo para o Hemorio. Com uma campanha para aumentar os estoques de sangue e ajudar no combate à febre amarela, o hemocentro coordenador do Rio de Janeiro coletou 3.116 bolsas de sangue em seis dias de campanha de vacinação contra a doença. O número é mais do que o dobro da média de bolsas coletadas este mês, antes da ação — passou de 190 para 519 por dia, durante os seis de imunização. Foram recolhidas 2.601 bolsas na sede do Hemorio e outras 515 nas unidades móveis. Foram aplicadas 2,4 mil doses da vacina. No estado, estão confirmados 26 casos de febre amarela, entre eles oito mortos desde o início do ano.

Quem tomou a vacina contra a febre amarela há mais de quatro semanas pode doar sangue normalmente. Quem teve a doença também, desde que esteja curado há mais de um ano. Com a vacinação em massa da população de todo o estado, a tendência é que os estoques diminuam nesse período. O diretor geral do Hemorio, Luiz Amorim, ressaltou a importância da campanha para o reforço dos estoques de sangue no início do ano.

— Tivemos um apoio muito grande dos doadores e conseguimos reforçar o nosso estoque para o período. Não só o nosso, mas o de todas as unidades de saúde que utilizam o sangue doado aqui no Hemorio — destaca o diretor.

Ao longo da última semana — a campanha seguiu de 22 a 27 de janeiro —, os voluntários chegaram cedo à unidade, para, além de doar sangue, serem imunizados. A estudante de Publicidade Isabelle Oliveira, de 24 anos, chegou por volta de 9h e conta que já pretendia tomar a vacina contra a febre amarela e aproveitou a campanha para fazer o bem.

— Fiquei algumas horas na fila, mas compensou. Saber que pude ajudar a salvar vidas é um sentimento muito legal. Nunca havia doado sangue. Tinha um certo receio, por medo da agulha, mas vi que não é nada de mais. Vou voltar mais vezes, com certeza — conta ela.

O Hemorio abastece as emergências dos grandes hospitais do Rio, maternidades e outras unidades de saúde. O hemocentro também envia sangue, quando necessário, para outras cidades. A secretaria estadual de Saúde reforça a necessidade de manter o estoque de sangue em alta. Janeiro e os dias que antecedem o carnaval são períodos em que a unidade recebe até 40% menos doadores de sangue.

Para doar sangue é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais. Não é necessário estar em jejum, mas é preciso evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e bebidas alcoólicas 12 horas antes. O Hemorio funciona todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados, das 7h às 18h, na Rua Frei Caneca, 8, no Centro do Rio.

Agência O Globo

(cópia 1)