container - hyperbanner

1

Notícias

Fachin dá aval para PF tentar recuperar dados de celular do coronel Lima

Polícia Federal apreendeu celular do coronel aposentado João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Temer

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, autorizou nesta terça-feira (8) que a Polícia Federal submeta o celular apreendido com o coronel aposentado João Baptista Lima Filho a um procedimento técnico para recuperação de dados. O coronel Lima, como é conhecido, é amigo do presidente Michel Temer.

O pedido da PF foi assinado pelo delegado Josélio Azevedo de Souza, coordenador do núcleo político da Operação Lava Jato na PF, e foi apresentado no âmbito das investigações relcionadas às buscas e apreensões relacionadas a Temer no último mês de maio, na Operação Patmos. A solicitação foi feita porque há a possibilidade de se perder dados do equipamento.

Mesmo diante do risco da perda de informações, Fachin autorizou o procedimento.

"Considerando as informações, defiro a realização de todos os procedimentos necessários à ampla extração de dados. Oficie-se à autoridade policial", decidiu o ministro.

Pedido

O laudo encaminhado junto com o pedido informa que trata-se de celular apreendido no endereço do coronel Lima, em São Paulo.

Segundo o material, em relação a emails, só foi possível obter data, hora, assunto, remetente e destinatário, mas "o conteúdo (corpo) dos emails não foi extraído devido a impossibilidade de acesso à área de memória protegida do equipamento".

Para extrair os dados, é necessário realizar uma técnica de desbloqueio chamada "jailbreak", mas o procedimento pode fazer os dados serem apagados ou pode levar à inutilização do aparelho, diz o laudo.

Além disso, a perícia também não conseguiu acessar mensagens do WhatsApp e quer realizar uma técnica chamada "root", que também representa riscos para a integridade dos dados.

Agência O Glogo


(cópia 1)